Novos Significados. Maiores Resultados




Novas tecnologias, nova economia, novos modelos de gestão e o que planeou-se no início do ano já não faz mais sentido. É preciso começar a rever o posicionamento diante de tantas mudanças. Os consumidores possuem novos hábitos, o digital é o novo canal de comunicação e aprender novas competências é essencial para manter vivo qualquer negócio.


O objetivo é atuar diretamente nas estratégias, na gestão e no crescimento de negócios que anseiam por resultados. Negócios que estão dispostos a aprender a reaprender. Esse é o lema, por exemplo, das gigantes da tecnologia dos Estados Unidos – Alphabet (Google), Amazon, Apple e Facebook, e dos seus célebres executivos, Sergey Brin e Larry Page, Jeff Bezos, Steve Jobs (in memorian) e Mark Zuckerberg, assim como executivos brasileiros que vale salientar, como Jorge Paulo Lemann, Alexandre Birman, Abílio Diniz e João Adibe.


Nessa nova Era, há três pontos que são imprescindíveis:


- 70% do foco deve estar na transformação do core do negócio para acompanhar as mudanças do mercado;

- 20% do foco no growth the core, ou seja, considerar os pontos fortes do negócio e as oportunidades que o mercado apresenta; e,

- 10% do foco em criar algo novo, o chamado “MATAR” seu próprio negócio tradicional antes que alguém mate por você. (Basta lembrar dos cases Kodak, Blackberry e Nokia).


Paralelo a essa desconstrução, a regra é criar um novo negócio adaptado às mudanças diagnosticadas no mercado. Sando Magaldi e José Salibi Neto, no livro Gestão do Amanhã, chamam esse posicionamento de Motor 1 (negócio tradicional) e Motor 2 (novo negócio). Ou seja, manter os dois motores aquecidos, dar mais força ao motor 2, enquanto o motor 1 está a ser desligado. Uma das ações que empresas tem adotado é a criação de um lab dentro da própria empresa com o objetivo de criar novas ideias, conciliado com o engajamento da equipa. Outras, tem investido em parcerias com staturps com o mesmo objetivo voltado à inovação.


Promova um squad para que sua equipa faça parte dessa construção. Reunir pessoas de áreas diferentes para propor uma nova solução engaja e agiliza o processo para tomadas de decisões.


Criar novos significados é propor a partida do Ponto A para o Ponto B, não se apegar ao modelo tradicional do negócio e focar em novas soluções que resolvam os problemas ou as dores dos clientes. Isso é o que trará maiores resultados e adaptações ao novo mundo que se apresenta. 


Fique sempre por dentro dos posts da Camila Leite Business & People!

Receba novos insights diretamente no seu email.

Inscreva-se logo abaixo (rodapé)


Conheça as mentorias da Camila Leite Business & People!

Clica aqui.

13 visualizações

Posts recentes

Ver tudo